projota

Projota Lança clipe do Single “Mayday”

O rapper Projota acaba de lançar seu novo clipe de trabalho, gravado para a música Mayday. E você pode conferir o vídeo aqui, na Hits sertaneja.

Mayday

Projota

Ok, não falo da nação, ei Falo só sobre quem cuida da nação, tei Se eu vencer, foi um descuido da nação, sei Que eles mandam nisso tudo Pensam que eles são rei Se eles ouvir isso tudo, mano, nem sei Vamo explodir isso tudo, mano, pensei Sou uma falha na turbina da nação Mayday, mayday, mayday, mayday Peço que não se incomode pelo barulho que faço Que não se aprisione nessas teias que hoje eu teço Que nunca me impeça de tentar tudo que eu posso Que nunca me ajude mesmo quando eu te implorar Só Deus sabe o quanto nessas noites eu chorei Fui pro inferno doze vezes e treze voltei Chorei de novo ao ver o mundo que aqui encontrei Fui pro inferno outra vez e dessa vez fiquei Eu tava ali, mas eu não tava ali Eu só sonhei que ali era a minha casa Eu pago o preço, eu vou fundo, eu desço Eu profundo demais pra sua mente rasa Cês faz os trap, mas não faz os trap Cês copia os trap, faz na dura cara Eu fiz um trap, pra botar num trap conteúdo E chefe, dessa vez cês para Ok, não falo da nação, ei Falo só sobre quem cuida da nação, tei Se eu vencer, foi um descuido da nação, sei Que eles mandam nisso tudo Pensam que eles são rei Se eles ouvir isso tudo, mano, nem sei Vamo explodir isso tudo, mano, pensei Sou uma falha na turbina da nação Mayday, mayday, mayday, mayday, mayday Ok, não falo da nação, ei Falo só sobre quem cuida da nação, tei Se eu vencer, foi um descuido da nação, sei Que eles mandam nisso tudo Pensam que eles são rei Se eles ouvir isso tudo, mano, nem sei Vamo explodir isso tudo, mano, pensei Sou uma falha na turbina da nação Mayday, mayday, mayday, mayday É que eu sei que cês tava doente louco de saudade de mim Sangrei nesses verso pra ver se assim eu te livro do fim É que eu sei que eu já tava doente louco de saudade de mim Gozei nesses verso pra que o seu espírito dê à luz algo tão foda assim Louco não para, sei que é difícil O mundo é um hospício e a vida é um estalo A vida é um som pesado e intenso Eu sinto e nem penso, e só ouço no talo Fiz um garimpo num campo bem limpo Algo desse tipo, mas isso é São Paulo Chamam de Sampa onde você trampa Junta seus bagulho pra ver ir pro ralo Eu sou Patrick, sou Sávio, sou Jonata Sou os dois Matheus, eu vim de Maringá E não vão tocar isso na televisão Mas algum coração eu sei que vai tocar Porque tudo passa, eu sei que a dor passa Mas tem dores que nunca devem passar E eu posso até não mudar o mundo Mas um vagabundo que ouvir isso aqui vai mudar Ok, não falo da nação, ei Falo só sobre quem cuida da nação, tei Se eu vencer, foi um descuido da nação, sei Que eles mandam nisso tudo Pensam que eles são rei Se eles ouvir isso tudo, mano, nem sei Vamo explodir isso tudo, mano, pensei Sou uma falha na turbina da nação Mayday, mayday, mayday, mayday, mayday Ok, não falo da nação, ei Falo só sobre quem cuida da nação, tei Se eu vencer, foi um descuido da nação, sei Que eles mandam nisso tudo Pensam que eles são rei Se eles ouvir isso tudo, mano, nem sei Vamo explodir isso tudo, mano, pensei Sou uma falha na turbina da nação Mayday, mayday, mayday, mayday  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading...