marchinhas de carnaval

Marchinhas de Carnaval – Tradição e Cultura do Folclore Brasileiro

As marchinhas de carnaval são imensamente populares em todo o Brasil, e representam a cultura de cada região do nosso país. Imagem relacionada O carnaval é uma das comemorações folclóricas mais prestigiadas do Brasil. O carnaval é uma celebração regada de músicas, acessórios coloridos, máscaras e enfeites temáticos. As marchinhas de carnaval fazem parte do legado cultural do nosso país. Confira na Hits Fm algumas das marchinhas de carnaval mais populares.

Abre Alas

Chiquinha Gonzaga – 1899

Ó abre alas que eu quero passar Ó abre alas que eu quero passar Eu sou da lira não posso negar Eu sou da lira não posso negar Ó abre alas que eu quero passar Ó abre alas que eu quero passar Rosa de ouro é que vai ganhar Rosa de ouro é que vai ganhar.

Cachaça

Mirabeau Pinheiro-Lúcio de Castro-Heber Lobato – 1953

Você pensa que cachaça é água Cachaça não é água não Cachaça vem do alambique E água vem do ribeirão Pode me faltar tudo na vida Arroz feijão e pão Pode me faltar manteiga E tudo mais não faz falta não Pode me faltar o amor Há, há, há, há! Isto até acho graça Só não quero que me falte A danada da cachaça.

A Jardineira

Benedito Lacerda-Humberto Porto – 1938

Ó jardineira porque estás tão triste Mas o que foi que te aconteceu Foi a camélia que caiu do galho Deu dois suspiros e depois morreu Vem jardineira vem meu amor Não fiques triste que este mundo é todo seu Tu és muito mais bonita Que a camélia que morreu.

Linda Morena

Lamartine Babo – 1932

Linda morena, morena Morena que me faz penar A lua cheia que tanto brilha Não brilha tanto quanto o teu olhar Tu és morena uma ótima pequena Não há branco que não perca até o juízo Onde tu passas Sai às vezes bofetão Toda gente faz questão Do teu sorriso Teu coração é uma espécie de pensão De pensão familiar à beira-mar Oh! Moreninha, não alugues tudo não Deixe ao menos o porão pra eu morar Por tua causa já se faz revolução Vai haver transformação na cor da lua Antigamente a mulata era a rainha Desta vez, ó moreninha, a taça é tua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

loading...